Para que serve o emissor de nota fiscal?

Com a chegada da nota fiscal eletrônica (NF-e) em favor das operações de teor contábil, os empreendedores e donos de negócio começaram a se preocupar com outros expedientes e soluções, como o emissor de nota fiscal.

Anteriormente oferecido de maneira gratuita pela Secretaria de Fazenda, hoje cada negócio deve escolher ou construir sua própria solução tecnológica para emitir aqueles documentos. Antes disso, entretanto, é fundamental entender qual seria a sua real função e colaboração para a organização.

Não sabe para que ele serve ou como ele funciona? Então, veja nesse post tudo o que você deve conhecer:

Compila as informações da empresa e dos clientes

Em primeiro lugar, o emissor de nota fiscal garante que todas as informações relevantes sejam compiladas e convertidas no documento fiscal eletrônico.

Permite que haja a entrada de dados como os referentes à empresa, ao cliente e ao produto, formando a NF-e.

Inclusive, essa é outra de suas funções, já que se trata de um elemento que garante a transmissão segura e dentro dos parâmetros para o órgão responsável por validar esse documento.

Integra-se a outros sistemas da empresa

Um dos grandes diferenciais de um emissor como esse é que ele é capaz de se integrar a outros sistemas.

A partir de um software de gestão integrada, por exemplo, dá para garantir que os campos referentes aos produtos sejam preenchidos de maneira automática.

Da mesma forma, com os dados obtidos em um CRM, é possível adquirir todas as informações necessárias.

Isso otimiza a tarefa de emissão, dando agilidade ao processo. Especialmente para empresas com grandes volumes de vendas, elevando a produtividade.

O emissor de nota fiscal ajuda a evitar erros

Como muitas das partes são automatizadas, as chances de erros diminuem. Os riscos de um dado a respeito do cliente ser inserido incorretamente são menores justamente devido à integração.

Da mesma forma, o cálculo dos impostos também pode ser facilitado.

Isso favorece a aprovação por parte da Sefaz, diminui o número de retrabalho e evita problemas referentes à contabilidade. Assim, a empresa sofre menos com questões como irregularidade fiscal e com multas e sanções aplicadas pela fiscalização.

Automatiza as tarefas de indexação

Tão importante quanto preencher, emitir e transmitir as notas fiscais eletrônicas é garantir que elas sejam armazenadas corretamente.

Todos os documentos fiscais possuem prazos de armazenamento para possíveis conferências dos órgãos competentes, então a indexação na base de dados é tarefa indispensável.

Essa tarefa se torna automática, de modo que tudo fique devidamente armazenado, identificado e organizado. Com o máximo de segurança e disponibilidade, a gestão sabe que todos os elementos ficarão devidamente protegidos.

Graças ao emissor de nota fiscal, a empresa consegue cumprir com suas obrigações fiscais e contábeis, sendo uma peça fundamental para o sucesso. Se quiser mais dicas e informações como essa, assine nossa newsletter e saiba como cuidar do seu negócio!